30/06/2018

8 Segredos escondidos em pinturas mundialmente famosas

Os artistas não representam apenas sua própria realidade em suas pinturas. Eles também guardam segredos e simbolismos em suas pinturas, dando-lhes um significado único. Você quer saber o que algumas dessas pinturas famosas escondem? Continue lendo!

Mona Lisa, Leonardo Da Vinci (1503)


O artista acrescentou letras e símbolos em miniatura nas pupilas da Mona Lisa. Segundo o pesquisador Silvano Vinceti, no olho direito aparecem as letras LV, que poderiam ser as iniciais do autor Leonardo Da Vinci. As letras no olho esquerdo não são muito claras, mas Vinceti imagina que elas sejam um “B” ou um “S”, ou possivelmente as iniciais “CE”. O pesquisador acha que são pistas vitais para se descobrir a identidade da modelo.

A Última Ceia, Leonardo Da Vinci (1498)


Um pesquisador concluiu que a pintura esconde uma partitura musical. Segundo sua teoria, os pães dispostos sobre a mesa e as mãos dos apóstolos e de Jesus fazem um requiem.

O velho pescador, Tivadar Kosztka (1902)


Essa pintura guarda um segredo um tanto assombroso. Olhando para ela com um espelho colocado no meio da tela, é possível ver a face de Deus à direita do pescador e do diabo à esquerda. Uma ilusão de ótica na qual reside o significado oculto do bem e do mal.

A Primavera, Sandro Botticelli (1482)


Nessa famosa pintura, existem pelo menos 500 tipos diferentes de plantas e 190 tipos diferentes de flores. Diversos estudos mostraram que a maioria delas existe na realidade e são meticulosamente pintadas. No entanto, acredita-se que algumas delas vêm da fantasia do autor e são uma mistura entre realidade e imaginação.

Broadway Boogie-Woogie, Mondrian (1943)


Apesar de ser um trabalho abstrato, o artista queria representar de forma inovadora as ruas da cidade de Manhattan, para onde se mudou em 1940.


A Noite Estrelada, Van Gogh (1888)


O quadro foi pintado enquanto Van Gogh estava internado no hospital psiquiátrico devido a um colapso mental. Van Gogh foi autorizado a ocupar dois quartos: um para dormir e outro usado como estúdio. O artista também podia sair para pintar ao ar livre sempre que estivesse acompanhado por um guarda.

O Jardim das Delícias, Hieronymus Bosch


Em uma parte da obra, que simboliza o inferno, está uma partitura musical dividida entre um livro e as nádegas de uma pessoa torturada. Esta descoberta foi feita por dois estudantes de Oklahoma, em parceria com o departamento de música da universidade para obter um resultado mais preciso. A música se chamava “Ass Music” e agora qualquer um pode ouvi-la.

A Ronda Noturna, Rembrandt (1642)


Esta pintura é conhecida pelo nome “A Ronda Noturna”, por causa da escuridão do fundo onde os personagens aparecem. No entanto, a cor se deu devido à oxidação do verniz e da fuligem acumulada ao longo do tempo. Ao restaurar este trabalho em 1947, descobriu-se que a cena ocorreu originalmente durante o dia.


EmoticonEmoticon