30/06/2018

Jogador coreano é obrigado a prestar dois anos de serviço militar por não chegar às oitavas de final na Copa

Na Coreia do Sul o serviço militar é obrigatório e deve ser feito antes dos 28 anos. Apesar disso, as autoridades do país prometeram aos jogadores da seleção que foi à Rússia que, se classificassem o país para as oitavas de final, abririam uma exceção e os jogadores estariam livres da obrigação.

Confira abaixo mais detalhes sobre essa história que mostra como a derrota pode ser também um 'adeus' ao futebol. O meia coreano Son Heung-Min viveu o jogo contra a Alemanha com mais paixão do que uma final: se a Coreia do Sul ganhasse da Alemanha e o México ganhasse da Suécia, ele não teria De prestar o serviço militar.

Isso aconteceu porque, como dito anteriormente, o serviço militar no país é obrigatório, mas as autoridades do país costumam eliminar essa obrigatoriedade para esportistas de sucesso. Os atletas olímpicos que ganham medalha, por exemplo, também ficam de fora.

A meta do jogador era passar às oitavas de final, e a seleção sul-coreana fez a sua parte: venceu a atual campeã do mundo, a Alemanha, por 2 a 0. Mas a Suécia ganhou do México, e o sonho de Son Heung-Min foi completamente destruído.


No final do jogo, todas as câmeras se voltaram ao jogador chorando, completamente incrédulo. Além de prestar o serviço militar, sua carreira como jogador de futebol foi posta em xeque, afinal de contas o serviço custaria o contrato com a equipe do Tottenham, na Inglaterra.


A esperança que resta ao jogador sul-coreano é que a excelente atuação no jogo contra a Alemanha seja considerada um triunfo esportivo. Ou seja, apesar de não passar para as oitavas de final, o bom desempenho individual seja considerado suficiente para ele não precisar prestar o serviço militar e continuar jogando futebol profissional.

Confira o vídeo que mostra o drama que o jogador está vivendo



Via: incrivel.club


EmoticonEmoticon