12/09/2018

Fotógrafo usa um drone para mostrar a desigualdade social no mundo

Johnny Miller é um documentarista e cineasta que sempre destacou questões urbanas, culturais e sociais em seus trabalhos. No projeto intitulado “Cenas Desiguais”, o fotógrafo capturou a desigualdade social e econômica ao redor do mundo através de imagens aéreas feitas por drones.. O objetivo do projeto é retratar as questões globais da desigualdade da forma mais objetiva possível e chamar a atenção para ela através da arte da fotografia.

Joanesburgo, África do Sul


Miller iniciou a série de fotos em 2012, quando se mudou dos Estados Unidos para a Cidade do Cabo, na África do Sul, para estudar antropologia. Alguns anos depois, ele expandiu o projeto, tirando várias fotos de outros lugares, como México, Índia, Tanzânia e Quênia, comparando os bairros ricos com os bairros pobres.




Mumbai, Índia


Mumbai é a cidade mais populosa da Índia, com uma população de cerca de 22 milhões de pessoas. É também um lugar onde a extrema pobreza e a extrema riqueza vivem lado a lado. De acordo com pesquisas recentes, estima-se que a porcentagem de pessoas que vivem em favelas seja de 55% da população de Mumbai.



Nairóbi, Quênia


A linha que divide ricos e pobres é uma característica normal de Nairóbi. A primeira foto ilustra um trem que atravessa a favela Kibera duas vezes por dia, a menos de um metro de distância das casas. Ao lado, as pessoas jogam golfe no Royal Nairobi Golf Club. Na segunda imagem, o fotógrafo tirou uma foto do subúrbio de Loresho, que abriga tanto os ricos quanto os pobres.


Cidade do México, México


A cidade mais populosa da América do Norte tem muitos problemas sociais e econômicos. Na última foto, é possível ver uma escola particular em um bairro rico que possui tênis, basquete e uma piscina bem conservada, enquanto ao lado há apenas uma quadra de esportes mal cuidada.



Cidade do Cabo, África do Sul


Durante o apartheid, várias estradas e outras barreiras foram construídas em diferentes cidades da África do Sul para separar as pessoas. Embora o apartheid tenha terminado em 1994, muitas dessas barreiras e distinções entre pobres e ricos ainda são evidentes na África do Sul.


Dar es Salaam, Tanzânia


Dar es Salaam é considerada a cidade que mais cresce na África. Estima-se que ela atingirá uma população de 6,2 milhões de pessoas até 2025. As fotos tiradas com o drone mostram claramente como a desigualdade é predominante no país.


EmoticonEmoticon